sábado, 23 de maio de 2009

Capitulo Extra: O que aconteceria se Nikki Reid fosse uma patricinha sem personalidade



Seu nome é Nicole Reid, todos que a conheciam em Detroit a chamavam de Nikki. Mas no momento não estava em Detroit, estava no carro de seu pai escutando-o falar de como ele e a mamãe a amavam muito, por isso a mandariam para uma ótima, e cara, escola interna.
Eles realmente a amavam demais por isso a mandaram para esta escola, como não aguentavam mais um olhar para a cara do outro, decidiram a manter longe até terminarem o processo de divorcio sem ela saber. Ela podia não ser muito esperta, mas já havia percebido há tempos o plano dos pais, quando achou os papeis em uma gaveta do escritório do pai, eu poderia dizer que ela estava procurando dinheiro para ir ao shopping sem o pai deixar, mas não foi.
Ela lera todo o documento nos mínimos detalhes para ter certeza de que não era um engano, guardou o documento no mesmo jeito que seu pai deixara e sorrindo foi ao shopping, lógico que só depois de achar o dinheiro guardado... ops, falei.
-Da para imaginar – falou calçando um sapato que pretendia comprar com o dinheiro do pai – Divórcio, ai Meu Deus, os dois vão se separar – olhou para a moça da loja – Vou levar esse, você pode pegar um com mais salto, por favor?
-Pensa pelo lado bom, você vai ganhar dois presentes, eles vão brigar para te dar o melhor carro, vai ser ótimo – Tracy Nails, amiga desde a sétima serie da Nikki, falou enquanto decidia se levaria uma sandália ou uma bota – Só que vai ter aquela carência de pais, você terá que ficar indo de uma casa até a outra, todo fim de semana isso deve faze mal, para pele... Vou levar os dois – falou decididamente para a mulher que as atendia.
-Eu sei, mas eles querem me mandar para uma cidadezinha retro no meio do nada para "pensar melhor no meu futuro", não era mais fácil eles falarem que vão se divorciar e me darem dinheiro para afogar minhas mágoas em sapatos?
Isso mostra um pouco da personalidade amável e racional de nossa protagonista. Após essa revelação comovente passam-se alguns meses.
Agora voltamos ao carro.
-Chegamos meu anjo, vou para a diretoria confirmar a matricula. Uma das inspetoras a leva até seu quarto.
Seu pai, Anakim Reid, não era de falar muito, vivia para o trabalho e estava extremamente descontente com o ocorrido, não com o divorcio, na verdade estava dando pulos de alegria com isso, mas não queria se separar da filha, sua bebezinha, linda e perfeita, na visão dele lógico. Nikki era boa em manipulá-lo, mas isso é outra historia... Voltando ao After (Sim esse é o nome da historia)
Nikki foi conduzia pelos corredores da escola por uma senhora gorda e falante - os sapatos não combinam com o vestido, da para ver a raiz sem pintar dos cabelos, está escola é um démodé sem graça, um retro totalmente fora de moda, tem poeira nos cantos... - tudo que a mulher falou foi abafado por estes pensamentos um tanto quando inúteis. Nossa protagonista só voltou e escutar quando a senhora falou.
-Seu quarto querida, espero que goste da sua nova colega.
No quarto havia alguns moveis antigos, pós-guerra provavelmente, mas o principal havia também uma menina loira de bochechas rosadas e estatura mediana:
-Oi, Nicole não é? Sou Lucy Woods, bem vinda a Diamond Beach.
-Pode me chamar de Nikki, esta cidade parece meio parada, tem alguma coisa interessante para fazer aqui?
-Tem garotos ótimos e festas melhores ainda, mas só nos fins de semana, te levo em uma, mas primeiro temos que comprar roupas que combinem com a cidade para você.
Com isso iniciou-se uma amizade, na verdade a amizade se iniciou quando elas perceberam que davam gritinhos histéricos a cada termino de frase.
Algum tempo depois, lá pela oitava festa que fora Nikki teve coragem de falar.
-Quem são aqueles caras que vem em todas as festas? -Olhava em direção a um grupo de cinco garotos.
-Lembra que falei que os garotos são ótimos? Aqueles são os melhores, não muito sociáveis, mas os melhores mesmo assim.
-Por que não muito sociáveis?
-Sei lá, eles meio que repelem qualquer um que não é do grupo... Não sei como, mas meio que dá medo sabe?
-Eu vou lá! Morder eles não mordem, não tem o que temer.
Lucy tentou falar alguma coisa, mas viu que não valia a pena. Nikki estava na metade do caminho ensaiando o que falaria:
-Olá - usou um sorriso que estava ensaiado durante anos na frente do espelho para momentos como aqueles - Sou Nikki, estudamos na mesma escola, vocês estão a fim de beber alguma coisa comigo e minhas amigas?
Um dos garotos, cabelos pretos metodicamente desarrumados, olhos azuis, alto e com um sorriso sádico no rosto tomou a frente do grupo para falar.
-Bem... Se você e a sua amiga tivessem um pouco mais de personalidade até que seriam meramente interessantes, mas como não tem gostaríamos que nos deixassem em paz pelo seu próprio bem estar, que é outra coisa que não nos importamos se vocês tem ou não... ou melhor não nos importamos em tira-lo de vocês. A sim meu nome é James prazer, agora adeus.
Com isso Nikki ficou meses sem ir a festas nem falar sobre este dia. Em meados de setembro seu pai foi buscá-la para morar com ele em Nova York.
Nicole Reid cresceu, se casou, teve filhos, envelheceu e morreu sem nem fazer ideia do que poderia ter conhecido ou vivido.

15 comentários:

Äмbзr Gïrℓ ⅞ disse...

gostei dessa hipótese, gostei mesmo. algo que poderia ter sido quando alguém decide ficar com a futilidade. Mas tenho saudades da verdadeira nikki.

saudades dos capítulos. até a próxima.

Blog Suicide Virgin

Anjo vermelho (Pseudônimo) disse...

Existem pessoas que preferem viver na futilidade pra nao encarar seus problemas de frente...

muito boa a historia..
vou procurar ler as mais antigas...
beijos

Shadow disse...

Tens em mim a partir deste momento uma fan...

Shadow disse...

acabei de te adicionar na minha lista de blogues que estou a seguir. Estou ansiosa pela proxima postagem.

Lethéia disse...

Mas isso acontece com quase td mundo...e dificl sair da caixinha!! otimo!!!

Lady Vanilla disse...

Gostei do seu blog, visitei-o e adorei o conteúdo, apesar de ser meio sombrio ¬¬... além disso, li essa história e não pude deixar de perceber nos nomes... vc gosta de Twilight? Desculpa a falta de criatividade na pergunta... beijos e estou seguindo, aguardando novas narrativas...beijos e bom fim de semana.

Medye Platinun disse...

Olá, li Todas. Ganhou meu respeito, realmente o trabalho é ótimo. E essa história, Nikki nasceu para ser o que ela é! Não mais uma "moralista" a mais em um mundo adoravelmente perfeito. Espero ansiosa pelos próximos capítulos.
Beijos
M. Platinun.

Medye Platinun disse...

Obrigada pela sua presença no meu blog, espero corresponder suas espectativas.
Beijos e espero pelos capítulos no seu blog.
Medye Platinun.

cris disse...

Amiga, tem selinho pra vc lah no meu blog!
Pega lah!
Bjs,
Cris.

guerreira templante disse...

oi niki volto pra ler-te com calma um texto como este é para se saborear,obrigada por me seguir estou a seguir-te tbm bjs!

Lethéia disse...

Adorei o senhorita....rs mas qual é o selo lindinha? bjs

Hitch disse...

Vamos rir então. :)

Eu achei ridiculo, vocês já foram bem melhores nisso.
RIARIARIARIA

Obrigada pela atenção, beijos.

Spider disse...

na boa' no início estava ótimo,todo aquele suspense detalhado fícticio e ao mesmo tempo viciante..estava realmente muito bom,maas.. estava < passado -.-

é muito bela esta história,então continue-a perfeitamente do modo como estava antes,e não a estrague mais (:

Diego? Glommer? disse...

Achei legal a história. Você tem talento para escrever...

Só que acho que vc poderia ter desenvolvido mais a situação. Dava para ter ficado ainda mais interessante.

Beijo
!

Anônimo disse...

:p